O que criatividade e trabalho remoto têm em comum?

Trabalhar de casa é bom, mas tem vezes que a criatividade vai embora, né? Tem dias em que tudo prejudica a rotina: desde o vizinho com a Makita ligada até o gato se lambendo em cima da mesa.

Tudo isso pode ser fonte de insights relevantes, especialmente se você trabalha em uma área criativa (escrevendo texto de blog, por exemplo). Mas para muitos profissionais, é um verdadeiro inferno lidar com tantas distrações.

O segredo para extrair o máximo do seu cérebro durante o trabalho remoto são os pequenos rituais diários. Por meio deles, você consegue manter as ideias sempre oxigenadas e a produtividade lá em cima.

1. Crie um ambiente de trabalho confortável

Aqui o conceito de conforto é bem amplo. Vai desde comprar uma cadeira com boa ergonomia, até arrumar um espaço próprio para trabalhar. E passa até pelas roupas que você usa durante o expediente! 

O que queremos dizer é: você precisa de um lugar que favoreça o seu foco. 

Por exemplo, no início da pandemia, muitas pessoas migraram para o trabalho remoto sem ter exatamente um espaço apropriado para trabalhar em casa. Nesse caso, realmente a criatividade fica comprometida.

No entanto, para ser criativo o ideal é ter um espaço exclusivo para trabalhar. Não precisa ser um cômodo separado só para ser o seu escritório, uma mesa arrumada já basta. O importante é você virar a chave sempre que estiver neste espaço.

Por isso, ele deve ser todinho seu: com a decoração que você gosta, com um espacinho para o seu pet, com espaço para o seu computador, agenda e tudo o mais que for usar.

Assim você consegue focar melhor no processo criativo, independentemente da sua área de atuação. E, além disso, fica mais fácil relaxar nos outros cômodos da sua casa (caso você trabalhe em home office).

2. Faça pausas e não se sobrecarregue

Trabalhar ininterruptamente, receber notificações a todo momento e responder mensagens fora do horário de trabalho minam a criatividade. E o que é pior: prejudicam a sua saúde mental.

No início, pode até não se importar em fazer tudo isso. Mas no longo prazo, isto se converte em dificuldade para criar novos materiais ou soluções.

É especialmente mais delicado para quem faz trabalho remoto da própria casa: com o passar do tempo, você sente dificuldade em aproveitar o próprio lar! 

Isso porque, ao estar sobrecarregado, você está na cozinha fazendo um sanduíche e aí lembra de um relatório. Ou está na sala escolhendo qual série assistir e se recorda daquele e-mail do Cláudio do financeiro…

Por isso, não tenha receio de fazer pequenas pausas durante o dia. Na época dos escritórios, esse momento era aquela pausa para trocar ideia no bebedouro ou na copa.

Agora, podem ser 15 minutos brincando com o cachorro, regando as plantas, conversando com a sua mãe, ou fazendo um alongamento

Esse descanso para o cérebro contribui com a sua saúde e com a criatividade. É o tal do ócio criativo – que, apesar do nome, não tem nada a ver com preguiça, e sim com descansos entre jornadas de trabalho para arejar a cabeça.

3. Mude a rotina 

Uma das principais vantagens de estar remoto é trabalhar do seu jeito. Por isso, aproveite! 

Converse com suas lideranças e, dentro do possível, faça pequenas mudanças na sua rotina sempre que sentir que suas ideias estão sufocadas.

E se você for líder de alguma equipe, seja flexível a essas mudanças, dentro do possível. 

Algumas transformações são simples de fazer, já outras requerem mais planejamento. Aqui tem alguns exemplos:

  • Usar uma roupa diferente alguns dias da semana;
  • Trabalhar em horários diferentes de vez em quando;
  • Trabalhar em outro cômodo da casa;
  • Ou então levar o notebook até o quintal;
  • Passe uma semana trabalhando do litoral ou do interior;
  • Defina um dia fixo para trabalhar em um café ou no shopping;
  • Faça um happy hour com a equipe (por videochamada mesmo);
  • Se tiver amigos que também estão remotos em outras empresas, visite-os e trabalhe de lá;
  • Tire um day off quando for possível.

Essas são só algumas ideias. O importante é não cair do marasmo.

Além de ajudar com a criatividade, tudo isso também é autoconhecimento: você pode descobrir que a sua rotina é a melhor do mundo. Ou talvez perceba que o vento do mar era o que faltava para abrir a mente! 

4. Crie projetos pessoais

Essa dica já era forte nos tempos de trabalho presencial, mas agora ficou mais fácil de executar. Afinal, com o tempo que você economiza no trânsito até o escritório, dá pra fazer muita coisa legal, né?

Por exemplo:

  • Escrever um diário;
  • Aprender a criar páginas de internet;
  • Fotografar pets;
  • Escrever o roteiro de um filme;
  • Lançar o seu blog;
  • Aprender uma receita nova por semana;
  • Criar uma conta no Instagram para postar resenhas de livros;
  • Pintar quadros com aquarela.

Sério, pode ser qualquer coisa, desde que estimule o seu intelecto e te dê prazer. Mesmo se não tiver nada a ver com a sua área de atuação. 

Mas se quiser aproveitar o contraturno para aprimorar habilidades, também pode. Seja com cursos onlines ou com pequenos projetos pessoais. 

Se você for programador, fazer um app para uma ONG em que você acredita é uma ótima maneira de manter o cérebro afiado! Ou se trabalha com marketing digital, criar as campanhas de e-mail marketing da microempresa do seu tio.

Desde que você trate essas atividades com leveza e não se sobrecarregue, os chamados “projetos de paixão” (passion projects, do termo original em inglês), são ótimas formas de alimentar a criatividade.

 

Esperamos que tenham gostado das dicas!
Tem algum ritual que destravou a sua criatividade? Comente aqui embaixo!

Deixe o seu pensamento

Remote-se.