O que as recrutadoras buscam em um currículo (e dicas de como fazê-lo)

Se você está buscando a sua vaga remota, algumas dicas valem ouro na hora de elaborar um currículo que vai ser notado em meio a muitos que nós recrutadores revisamos todos os dias. Você e eu sabemos que muitos fatores influenciam na elaboração de um bom currículo, e não existe uma única “receita de bolo” – mas espero iluminar o seu caminho na busca por uma vaga remota com esse post.

O que fazemos: Nós buscamos no seu currículo detalhes específicos para a vaga que estamos trabalhando. Formação, conhecimentos, habilidades e experiência, por exemplo.

O que somos: uma ponte! De um lado, a empresa tem uma oportunidade remota, de outro, a pessoa candidata tem um perfil profissional bacana; e o meu papel como recrutadora é identificar as competências do cargo na pessoa candidata, para conectá-la à empresa na posição que melhor encaixa com o perfil profissional dela.

O que você pode fazer: facilite o meu trabalho! Inclua as palavras-chave relevantes no seu currículo (dica: o que buscamos está na job description que você leu ao aplicar para a vaga!). Escreva de forma clara, para que eu encontre o que busco. Inclua apenas as informações mais relevantes, ou seja, não conte todo o seu histórico profissional necessariamente. Inclua os dados de contato para que eu possa falar com você. Seja verdadeiro. Seja breve. Seja você.

Propaganda: Você já parou pra pensar que, sendo a razão pela qual o recrutador irá te chamar para uma entrevista, o seu currículo é, na verdade, um documento que “abre portas”? Ele é uma propaganda de você, da sua marca como profissional. Pois é!

Como fazer um currículo/propaganda da sua marca que será notado em meio a outros

Quais informações incluir? O que não incluir? Qual modelo/layout utilizar? Qual fonte? Quantas páginas? Com foto ou sem foto?

A resposta é: depende. Não existe uma “receita” infalível, pois o nível da posição, a empresa, os requisitos, e muitos outros fatores fazem com que cada processo seletivo seja único. E já que são muitos fatores que variam, as informações que buscamos nos currículos variam bastante também.

Abre parênteses: todas essas informações são muito válidas, claro, para as empresas que pedem o envio de um currículo. Lembre-se que existem empresas e recrutadores que ao olhar o seu LinkedIn na primeira fase do processo, entendem que essa informação já é suficiente para decidir que vale a pena chamar você para uma primeira conversa. Cuide bem do seu perfil no LinkedIn! Fecha parênteses.

Lembre-se, também, que um processo seletivo tem várias etapas. A análise do seu currículo é a primeira delas. Existem companhias que usam sistemas com inteligência artificial na fase de filtro de currículos, então a pessoa humana que irá entrar em contato com você nesse caso sabe que você foi aprovado no primeiro filtro (parabéns!!). Outras empresas fazem o processo do início ao fim com uma equipe de recrutadores humanos. Em qualquer caso, vamos às dicas sobre o que fazer em um bom currículo:

1) Minimize

Seu currículo não precisa ser artístico, mas eficiente: básico e direto ao ponto, com as informações fáceis de encontrar. Sem muitas cores, sem um parágrafo de apresentação falando sobre pró-atividade, pontualidade, foco em objetivos, e o quão profissional e focado você é (na entrevista nós investigamos as suas soft skills, não no currículo). Se você não atua em uma posição criativa, não precisa perder tempo enchendo o documento com elementos artísticos que não agregam valor para essa etapa do processo seletivo (ou para essa empresa).

O que precisa ter:

  • O seu nome completo
  • Endereço (cidade/estado)
  • Dados de contato (telefone e e-mail)
  • Link para o perfil do LinkedIn
  • Sua experiência profissional
  • Sua formação (técnica e/ou superior, incluído o ano de finalização)
  • Idiomas estrangeiros, incluído o nível (básico, intermediário, avançado ou fluente) e a sua certificação/título (se for o caso)

Opcional se necessário:

  • link para o seu perfil em plataformas como Behance, Github, Medium, o seu portfolio online, etc (conforme a sua área de atuação)
  • resumo profissional
  • lista de habilidades técnicas (hard skills)
  • trabalhos voluntários
  • cursos extras
  • foto do seu rosto
  • além disso, se você tem um site que é seu, ou criou um aplicativo, ou tem presença online relevante, pode incluir o link para acesso ao que você produziu.

2) Prepare-se

Leia com atenção a descrição da vaga que deseja: as palavras-chave do processo seletivo estão lá. Você conhece aquela tecnologia? Você já fez um curso relacionado ao que interessa para esta posição específica? Então essa informação não pode faltar no seu currículo. Isso nos leva ao próximo ponto…

Amplie a pesquisa: pesquise a página de carreiras, os depoimentos de pessoas que trabalham na empresa e no departamento, e direcione a narrativa do seu currículo para algo próximo ao desejado pela vaga. Escolha com cuidado as informações que devem estar no seu currículo. Narrativa é importante! Use as palavras para comunicar o que você quer dizer (e não para preencher espaço! Lembra da dica número 1? Minimize). Toda palavra que você usa no currículo está ali por alguma razão.

Pesquise vídeos no Youtube sobre dicas práticas: existem muitos vídeos com dicas para currículos – muitos mesmo – então facilitamos esse trabalho pra você. Comece por esse aqui, que vale a pena:

3) Revise

A ordem dos fatores altera o resultado: suas informações pessoais e contato devem estar em cima, ou seja, o mais fácil possível para a recrutadora encontrar, caso deseje entrar em contato.

Use números ou parâmetros: se você é da área de vendas ou marketing, de forma objetiva, use números e resultados que alcançou. Se é uma pessoa desenvolvedora, indique o nível de conhecimento nas stacks e plataformas. Independente da área de atuação, indique o seu nível de conhecimento nos idiomas estrangeiros (e o certificado, ou a escola onde estudou, se for o caso). Tudo isso torna fácil ver as suas habilidades técnicas.

Ordem inversa: comece pelo último emprego e termine nos mais antigos. Escolhas quais experiências incluir de acordo com a vaga à qual você está se candidatando.

Faz sentido incluir tudo? Um erro comum é colocar todos os cursos e experiências acreditando que assim o currículo fica mais completo. Porém, se houver experiências fora de contexto, isso pode ser compreendido como falta de foco. A sua história precisa ser bem contada, portanto, escolha bem as informações.

Desapegue dos cursos velhos: foque em incluir as certificações mais relevantes da sua área, para aquela empresa, para aquela vaga. Seja breve.

Não deixe informações relevantes de lado: a sua história precisa ser bem contada com informações bem escolhidas. Revise o currículo para a vaga específica.

Tamanho importa? Alguém já deve ter te dito que o currículo deve ter apenas uma página… Mas isso não é uma verdade absoluta, ok? Se você escolheu as informações mais relevantes, e tudo coube em uma página, legal. Mas legal mesmo é não deixar de lado informações que podem ser interessantes por medo do seu currículo ficar extenso. Duas páginas também é um bom tamanho – não se estenda muito além disso.

4) O que não fazer

Agora vamos às dicas sobre o que não fazer em um bom currículo. É legal saber o que evitar, pra não pisar na bola, certo?

Pretensão salarial: não inclua no currículo. Eu vou abordar esse assunto em outras fases do processo seletivo, na maioria das vezes na entrevista, ou na fase de aplicação (sabe aquelas perguntas que pedimos para você responder na hora de se candidatar para a vaga? Isso aí).

Informações falsas: de jeito nenhum! É errado, é antiético, e você ficará com uma imagem ruim naquela empresa. E vai me deixar triste. Não me deixa triste, vai?

E-mail: Não use endereços de e-mail infantis nem inadequados. Se o seu e-mail atual tem um endereço pouco profissional, faça outro. Use um e-mail sério. Uma dica seria buscar se seunome.seusobrenome está disponível no provedor de e-mail que você usa. Assim, o e-mail é seu, pessoal e intransferível, e é um endereço sério.

Design: não use elementos rebuscados, muitas cores, vários tamanhos de fontes diferentes, nem fontes que são difíceis de ler. O currículo pode ser criativo, é claro, mas de um jeito simples e limpo – nunca prejudicando a leitura. Disclaimer: se você é designer, envie sempre o combo currículo + portfólio. Melhor ainda se o link para acesso ao portfólio online está no currículo.

5) Me ajude a te ajudar

Seguindo essas dicas, você vai ter um currículo ótimo. A ideia central é: simplifique, e me ajude a fazer o meu trabalho! Você e eu buscamos o “match”. Eu sou sua amiga. Vamos trabalhar juntos?

Bora lá revisar o seu currículo para concorrer àquela vaga que você amou no site da Remotar? Boa sorte!

Um comentário

  1. Canabarro Pereira

    Ótimas dicas !
    Foco no que realmente faz a diferença. Já vou rever o meu CV…

    Responder

Deixe o seu pensamento

Receba nossas novidades